Resumo

Um levantamento da Organização Mundial da Saúde (OMS) mostrou que 13,5 milhões de pessoas sofrem de um AVC todos os anos, e já somam 80 milhões aqueles que sobreviveram de um AVC, enquanto 55 milhões convivem com demência atualmente. Em setembro deste ano, a OMS alertou que estes casos devem aumentar para 78 milhões em 2030 e 139 milhões em 2050. A agência internacional associa, ainda, a demência a uma série de doenças e lesões que afetam o cérebro, como doença de Alzheimer ou AVC, afetando a memória e outras funções cognitivas, bem como a capacidade de realizar tarefas diárias.

Cerca de um em cada dez pacientes com um primeiro AVC já tem demência no início do evento e 30% terão demência após 1 ano. Embora sejam consideradas as segundas causas de morte e de incapacidade mais comuns em todo o mundo, mais de 90% dos casos de AVC e 30% dos de demência podem ser prevenidos com controle dos fatores de risco cardiovasculares. O aumento do número destes casos em todos os países fornece evidências de que, atualmente, as estratégias primárias de prevenção, que incluem aquelas voltadas para a população de baixo a médio risco, não são suficientemente eficazes.

 


Introdução

Considerando que muitas das pessoas com demência, declínio cognitivo e AVC, poderiam ter evitado essas condições com mudanças em seu estilo de vida, o projeto PROMOTE irá avaliar se o uso de uma polipílula com a combinação de medicamentos para controlar a pressão e o colesterol, isolada ou associada à modificação do estilo de vida, é capaz de reduzir o número de casos de Acidente Vascular Cerebral (AVC) e a taxa de declínio cognitivo em pessoas de 50 a 75 anos com baixo a moderado risco de doenças cardiovasculares. 

A iniciativa vai buscar auxiliar os pacientes na mudança do estilo de vida, explicando sobre os riscos, causas e como evitar, além de possivelmente reduzir os casos de AVC, também irá avaliar o custo-efetividade para saber quanto será possível ao SUS economizar ao atuar com medidas de prevenção.

 


Métodos

Serão avaliados pacientes considerados relativamente saudáveis, porém, que tenham pressão arterial sistólica limítrofe entre 120 e 139 mmHg e que tenham, pelo menos, um dos quatro fatores de risco comportamentais que aumentam as chances de desenvolver as doenças citadas, como excesso de peso, dieta desequilibrada, sedentarismo e uso do cigarro.

Os participantes serão divididos em grupos com diferentes estratégias de prevenção, como mudança no estilo de vida e monitoramento por meio do aplicativo Riscômetro, desenvolvido pela Universidade da Nova Zelândia; ou monitoramento pelo aplicativo associado ao uso da polipílula; apenas uso da polipílula; ou cuidados usuais.

A expectativa é realizar a ativação das unidades até junho de 2022, além de randomizar e incluir 300 participantes até junho de 2022 e 1000 participantes até outubro de 2022.


Resultados

.


Equipe

  • Hospital Moinhos de Vento

    Liderança

    Sheila Cristina Ouriques Martins,Hospital Moinhos de Vento, http://lattes.cnpq.br/7101717955870394 Brunna de Bem Jaeger Teló, Hospital Moinhos de Vento, http://lattes.cnpq.br/3175353718353604


    Equipe

    Franciele Pereira dos Santos, Hospital Moinhos de Vento, Porto Alegre, RS, http://lattes.cnpq.br/4682510047981768


    Colaboração

    Área Técnica

    Luciana Hentzy Moraes Olivia Lucena de Medeiros Thais Coutinho de Oliveira Coordenação Geral de Prevenção de Doenças Crônicas e Controle do Tabagismo (CGCTAB) Secretaria de Atenção Primária à Saúde (SAPS) Departamento de Promoção da Saúde (DEPROS)


Conheça outros Projetos_