Desenvolvimento da Gestão de Programas de Residência e da Preceptoria no SUS
Hospital Sírio-Libanês

Desenvolvimento da Gestão de Programas de Residência e da Preceptoria no SUS
DGPSUS
2018-2020

Desenvolvimento da Gestão de Programas de Residência e da Preceptoria no SUS
Resumo
O projeto pretende colaborar para a mudança da realidade do cenário nacional da formação de todas as profissões da saúde, tanto no nível da graduação, como no da pós-graduação por meio da elaboração e implantação de intervenções que mudem a gestão de residência e a preceptoria de residentes e graduandos do país, para que possam se voltar para um cuidado integral à saúde das pessoas e à organização de um trabalho comprometido com a melhoria da qualidade de vida da comunidade onde atuam.
Em termos educacionais, o projeto integra dois cursos de pós-graduação: Aperfeiçoamento em Gestão de Programas de Residência em Saúde do SUS (GPRS) e Especialização em Educação na Saúde pra Preceptores no SUS (PSUS).
Basicamente, o projeto visa:
(a) apoiar a construção de projetos de intervenção, bem como sua implantação, visando à mudança das realidades regionais no que se refere à residência em saúde e preceptoria;
(b) capacitar profissionais de saúde do país para a gestão de programas de residência e de preceptoria e
(c) contribuir para a articulação entre a academia e os serviços de saúde de saúde do SUS.
O projeto – tendo como centro a participação dos profissionais de saúde que integram os cursos – segue a seguinte trajetória:
(a) capacitação para que os profissionais elaborem projetos de intervenções para obter mudanças relacionadas à residência e preceptoria nas diferentes regiões brasileiras;
(b) acompanhamento da implantação das intervenções nos diversos cenários nacionais e
(c) avaliação dos resultados das intervenções implantadas.
Metodologicamente o projeto se concentra no apoio à construção e implementação de intervenções que transformem os contextos reais, onde estão inseridos os participantes, ancoradas em iniciativas educacionais que as alimentam e as suportam. Os projetos de intervenção terão como ponto de partida seleção, pactuação e caracterização de um problema do contexto real do trabalho, dialogado com os macroproblemas/desafios, identificados para a construção de uma proposta de mudança.
O processo de seleção e priorização do problema até a definição e implementação das ações do plano de intervenção devem ocorrer em espaço institucional real e incluir o levantamento de dados em trabalho de campo e a validação do projeto com atores considerados relevantes.
O processo de ensino-aprendizagem das iniciativas educacionais está ancorado:
(i) nas teorias interacionistas da educação;
(ii) na metodologia científica;
(iii) na aprendizagem significativa;
(iv) na integração teoria-prática; e
(v) na dialogia.
Em termos de resultados, o projeto pretende formar:
(a) 150 gestores de programas de residência no SUS em todas as regiões brasileiras;
(b) 800 profissionais de saúde para atuarem na preceptoria de residentes e de graduandos em saúde e
(c) implantando, pelo menos, 80 projetos de intervenção voltados para a gestão de programas de residência e 45 para a preceptoria em saúde.
 
 


Introdução

O projeto pretende colaborar para a mudança da realidade do cenário nacional da formação de todas as profissões da saúde, tanto no nível da graduação, como no da pós-graduação através da elaboração e implantação de intervenções que mudem a gestão de residência e a preceptoria de residentes e graduandos do país.
A partir da análise do contexto e com base na experiência acumulada de anos do Hospital Sírio-Libanês, destaca-se a necessidade de articular a formação dos preceptores e gestores de programas médicos e das outras profissões em saúde. Assim, parte-se da necessidade de formar profissionais de saúde para que residentes e graduandos possam se voltar para um cuidado integral à saúde das pessoas e à organização de um trabalho voltado para a melhoria da qualidade de vida da comunidade onde atuam.
O projeto, em síntese, tem os seguintes objetivos: (a) apoiar a construção de projetos de intervenção visando a mudança das realidades regionais no que se refere à residência em saúde e preceptoria; (b) capacitar profissionais de saúde do país para a gestão de programas de residência e para a preceptoria e (c) contribuir para a articulação entre a academia e os serviços de saúde de saúde do SUS.

 



Métodos

O projeto se concentra no apoio à construção e implementação de intervenções que transformem os contextos reais, onde estão inseridos os participantes, ancoradas em iniciativas educacionais que as alimentam e as suportam.

No âmbito da transformação da realidade entende-se intervenção por “conjunto de meios (físicos, humanos, financeiros, simbólicos) organizados num contexto específico, em um dado momento para produzir bens ou serviços com o objetivo de modificar uma situação problemática”.

Os projetos de intervenção terão como ponto de partida seleção, pactuação e caracterização de um problema do contexto real do trabalho, dialogado com os macroproblemas/desafios, identificados para a construção de uma proposta de mudança.

O processo de seleção e priorização do problema até a definição e implementação das ações do plano de intervenção devem ocorrer em espaço institucional real e incluir o levantamento de dados em trabalho de campo e a validação do projeto com atores considerados relevantes. A pactuação com os atores reais, considerando-se o município no qual estão inseridos os participantes, visa promover o comprometimento de cada um com a superação do problema priorizado, ampliando a viabilidade do projeto de intervenção.

No campo educacional o projeto DGPSUS contempla dois Cursos de pós-graduação: (i) Aperfeiçoamento em Gestão de Programas de Residência em Saúde no SUS - GPRS e (ii) Especialização em Educação na Saúde para Preceptores no SUS - PSUS. Os cursos serão desenvolvidos, de maneira articulada, nos mesmos municípios selecionados pelas equipes da SGTES/MS, validados pelos parceiros CONASS e CONASEMS.
O processo de ensino-aprendizagem das iniciativas educacionais está ancorado: (i) nas teorias interacionistas da educação; (ii) na metodologia científica; (iii) na aprendizagem significativa; (iv) na integração teoria-prática; e (v) na dialogia.

Resultados

O Projeto DGPSUS visa contribuir para melhoria da atenção à saúde no SUS, visando à reorientação articulada dos modelos de atenção e de formação, no sentido da ampliação da qualidade, do acesso e da integralidade do cuidado em redes de atenção à saúde.

Pretende-se alcançar essa mudança através da construção de Projetos de Intervenção, pelos participantes das iniciativas educacionais, por meio da oferta de ferramentas pedagógicas/estratégicas, acompanhando o seu desenvolvimento, buscando a mudança da realidade; da capacitação profissionais de saúde para a construção e gestão de programas de residência em saúde, considerando os princípios do SUS, as diretrizes para a elaboração de currículos integrados e orientados por competência e as políticas públicas de formação pós graduada de profissionais de saúde; da capacitação de profissionais de saúde na abordagem construtivista da educação, com ênfase na facilitação de processos educacionais na saúde que utilizam metodologias ativas de ensino-aprendizagem, visando à educação permanente dos preceptores e a qualificação da preceptoria; do estimulo a valorização do exercício da preceptoria e da construção da identidade do preceptor como um facilitador de aprendizagem comprometido com a transformação da realidade; da articulação entre academia e serviços de saúde do SUS, visando à integração teoria-prática, considerando as diretrizes do Contrato Organizativo de Ação Pública Ensino-Saúde (COAPES).

Em termos de resultados imediatos, o projeto pretende: (a) a formação de 150 gestores de programas de residência no SUS em todas as regiões brasileiras; (b) formação de profissionais para a atenção ao idoso e seus planos de saúde e saúde; (c) implantação de, pelo menos, 80 projetos de trabalho voltados para a gestão de programas de residência e 15 para a preceptoria em saúde.



Liderança

Luiz Fernando Lima Reis - Patrocinador
http://lattes.cnpq.br/8296739883987900

Alex Ricardo Martins - Gerente de projeto
https://www.linkedin.com/in/alexricardomartins/


Everton Soeiro - Hospital Sírio-Libanês
http://lattes.cnpq.br/0512926084072811

José Maurício de Oliveira - Hospital Sírio-Libanês
http://lattes.cnpq.br/5941324590706207

Romeu Gomes - Hospital Sírio-Libanês
http://lattes.cnpq.br/6215183415501835




Equipe

Especialistas

Altair Massaro

Adriana Barbieri

Edson Malvezzi

Roseli Ferreira da Silva

Vera Lúcia Garcia


Equipe do Projeto
Renata Rodrigues Mattos - Coordenadora do Projeto 
https://www.linkedin.com/in/renata-rmattos/


Clayse Carla da Silva - Analista do Projeto
https://www.linkedin.com/in/clayse-carla/



Colaboração

Conselho Nacional de Secretários de Saúde (CONASS)

Conselho Nacional de Secretarias Municipais de Saúde (CONASEMS)



Área Técnica
Secretaria de Gestão do Trabalho e da Educação na Saúde (SGETS)

Ministério da Saúde (MS).


INDICADORES

CONHEÇA OUTROS PROJETOS
Processando