Escola de Transplantes da Sociedade Beneficente de Senhoras Hospital Sírio-Libanês
Hospital Sírio-Libanês

Escola de Transplantes da Sociedade Beneficente de Senhoras Hospital Sírio-Libanês
Escola de Transplantes
2018-2020

Escola de Transplantes da Sociedade Beneficente de Senhoras Hospital Sírio-Libanês
Resumo
O projeto Escola de Transplantes visa desenvolver o constante aprimoramento técnico profissional, promovendo capacitação de instituições do Sistema Único de Saúde que se dediquem à área do transplante e da doação de órgãos, além da reabilitação intestinal. Para isso, se faz necessária à avaliação, seleção e preparação dos candidatos ao transplante, a realização do transplante, implante de dispositivos cardíacos de assistencia circulatória mecânica, reabilitação intestinal e o acompanhamento contínuo desses pacientes com foco em qualidade e segurança da assistência prestada, otimização dos recursos, controle orçamentário e geração de conhecimento.
Para tanto, atuamos em quatro subprojetos:
  1. Capacitação em Transplante de Fígado Pediátrico
  2. Tratamento da Falência Intestinal no Brasil em pacientes pediátricos do Sistema Único de Saúde com a Reabilitação Intestinal, nas modalidades hospitalar e domiciliar, e com o Transplante de Intestino e/ou Multivisceral.
  3. Tratamento da Insuficiência Cardíaca Refratária com Transplante de Coração e com o Implante de Dispositivos de Assistência Circulatória Mecânica (Projeto “Coração Novo”)
  4. Capacitação em Doação de Órgãos para Transplante. Este subprojeto tem o objetivo de aumentar a oferta de doadores de órgaõs no país por meio de cursos de curta duração nas modalidades à distância (EAD) e presencias. Os cursos EAD contemplam: (1) Aspectos Gerais sobre o Diagnóstico Clínico da Morte Encefálica no paciente Adulto; (2) Manutenção Hemodiâmica no Potencial Doador Adulto; (3) Aspectos Gerais do Diagnóstico Clínico de Morte Encefálica em Crianças e Manutenção Hemodinâmica do Potencial Doador Pediátrico; (4) Legislação em Doação de Órgãos e (5) Faturamento SUS dos procedimentos de doação de órgãos.


Introdução

Desde a década de 80, com o desenvolvimento em áreas do conhecimento médico permitiram que os transplantes fossem considerados um tratamento eficaz e seguro, tornando-se uma opção terapêutica para pacientes com doenças crônicas que cursam com falência orgânica.
O Brasil possui o maior sistema público de transplantes do mundo, sendo área prioritária da política de saúde nacional. Entretanto, essa demanda vem aumentando progressivamente com consequente aumento da mortalidade de pacientes em lista de espera. Além disso, observa-se escassos serviços públicos no país capazes de oferecer assistência à falência intestinal.
Vários fatores causam essa desproporcionalidade, e dentre estes, se destacam a carência de profissionais capacitados para desenvolver as complexas etapas destes tratamentos, a dependência da viabilização de doadores falecidos, isto é, em morte encefálica e as discrepâncias loco-regionais na distribuição do número de transplantes realizados no país.
Dessa forma, desenvolver estratégias tanto para facilitar o acesso ao tratamento quanto para otimizar as indicações para o transplante e a reabilitação intestinal se fazem necessárias. 
De forma geral, o Projeto Escola de Transplantes vem atendendo aos requisitos do PROADI-SUS, com benefícios que se estendem para toda sociedade: (1) aos profissionais da área da saúde, que terão acesso à treinamentos específicos e de alta qualidade, desenvolvido por uma equipe com expertise comprovada na área; (2) aos pacientes e suas famílias, que serão submetidas ao melhor tratamento disponível e ao (3) Sistema Único de Saúde, que por meio desse projeto, pode garantir os princípios da Integralidade, Equidade e Universalidade, permitindo acesso a um tratamento de alta complexidade a uma população vulnerável do ponto de vista social e econômico, devolvendo aos pacientes perspectivas de melhoria de sua qualidade de vida.



Métodos

Além da assistência integral (ambulatorial, hospitalar e domiciliar) oferecidas aos pacientes do projeto, a capacitação dar-se-á por meio de metodologias ativas, participativas e problematizadoras de aprendizagem, de modo que admitam uma prática pedagógica ética, crítica, reflexiva e transformadora, ultrapassando os limites do treinamento puramente técnico para efetivamente alcançar a formação holística fundamental para atuação na área de transplantes e reabilitação intestinal no contexto do SUS.
A capacitação trata-se de um treinamento teórico-prático em serviço que possibilita aprendizagem vivenciada do cuidado e de educação em saúde, adaptada aos diversos cenários que envolvem a estas modalidades terapêuticas. Para tanto, os capacitandos terão oportunidade de aprender com apoio didático-pedagógico de tutores e preceptores com larga experiência em assistência direta à esses pacientes críticos e também na área acadêmica e de ensino.
Os alunos serão expostos a conteúdos teóricos por meios de estratégias de ensino-aprendizagem que permitam sua participação ativa no processo de aquisição do conhecimento: aprendizado baseado em problemas ("PBL"), em equipes (“Team-Based Learning” – TBL); desenvolvimento de Projeto Terapêutico Singular (PTS) e gestão da assistência; educação à distância; simulação de cenários práticos (treinamento hands-on); ensino em ambientes hospitalares e discussões clínicas.  Todas essas estratégias propiciam o desenvolvimento da inteligência relacional, autonomia e maior responsabilidade sobre o auto aprendizado, priorizando o trabalho em grupos ou equipes.
O processo seletivo dar-se-á conforme indicação das Coordenações Estaduais de Transplantes e validação da Coordenação Geral do Sistema Nacional de Transplantes/Ministério da Saúde e Hospital Sírio-Libanês, que utilizará sua expertise em recrutamento e seleção de estudantes para avaliar os candidatos que se enquadrem aos objetivos propostos para o treinamento.



Resultados

De janeiro de 2018 até 30 de Setembro de 2019:

  1. Foram realizados 124 transplantes pediátricos de fígado, sendo 119 (95,96%) com doadores vivos. A sobrevivência dos pacientes submetidos ao transplante em 15 dias foi de 99,2% (1 óbito), em 1 mês foi de 98,4% (2 óbitos);
  2. Implantado Centro de Reabilitação Intestinal em pacientes pediátricos do SUS no Hospital Municipal Infantil Menino Jesus, com 20 crianças acompanhadas. Dessas, 3 crianças estão em regime domiciliar de reabilitação intestinal e 1 foi submetida ao transplante intestinal, na modalidade intervivos.
  3. Foram realizados 8 transplantes de coração, 10 implantes de dispositivo de assistência circulatória mecânica de curta permanência e 8 implantes de dispositivos de longa permanência.

Além disso, foram entregues em dezembro/2018 a readequação de 14 leitos no 6º andar do Hospital Municipal Infantil Menino Jesus (HMIMJ), que passaram a receber os pacientes em acompanhamento pré e pós transplante pelo programa de transplante de fígado pediátrico e outros 14 leitos destinados aos pacientes do programa de Reabilitação Intestinal.



Liderança
Patrocinador
Dr. Paulo Chapchap 
http://lattes.cnpq.br/7988304128733344

Superintendência de Responsabilidade Social
Vânia Rodrigues Bezerra

Gerente Assistencial
Adriana Lara de Moraes

Coordenador
Tadeu Thomé
http://lattes.cnpq.br/5971671350000053


Equipe
Gestão em Transplantes
1. Bruna Carneiro de Oliveira
2. Fabrício Canova Calil
3. Lisandra Miranda Macedo
4. Joice Suher Alves
5. Palloma Piera Lopes
6. Vera Lúcia Andrade Aquino

Equipe de Transplante de Fígado Pediátrico
  1. Dr. Paulo Chapchap, Cirurgião, CRM 34774 (Responsável Técnico)
  2. Dr. Eduardo Antunes da Fonseca, Cirurgião, CRM 62226;
  3. Dr. João Seda Neto, Cirurgião, CRM 82280;
  4. Dr. Rodrigo Vincenzi, Cirurgião, CRM 104586;
  5. Dr. Marcel Albeiro Luiz Benavides, Cirurgião, CRM 103433;
  6. Dra. Karina Moreira de oliveira Roda, Cirurgiã, CRM 133977;
  7. Dr. Plinio Turine Neto, Cirurgião, CRM 152219;
  8. Dra. Amanda Castelo Branco Contente, Cirurgiã, CRM 174572;
  9. Dr. Mario Kondo, Gastroenterologista, CRM 47175;
  10. Dra. Gilda Porta, Hepatologia Infantil, CRM 20466;
  11. Dra. Irene Kazue Miura, Hepatologia Infantil, CRM 41808;
  12. Dra. Vera Lucia Baggio Danesi, Hepatologia Infantil, CRM 66505;
  13. Dra. Renata Pereira S. Pugliese, Hepatologia Infantil, CRM 48218;
  14. Dra. Adriana Porta Miche Hirschfeld, Hepatologia Infantil, CRM 115609;
  15. Dra. Cristian Barbieri Victoria Borges, Hepatologia Infantil, CRM 136388;
  16. Dra. Paula Sachetim Marcal Rigo, Gastropediatria, CRM 171660;
  17. Dra. Eliene Novais Oliveira, Gastropediatria, CRM 161925;
  18. Dr. Enis Donizete Silva, Anestesista, CRM 58650;
  19. Dr. Fernando David Goheler, Anestesista, CRM 66291.
Equipe de Transplante de Intestino/Multivisceral
  1. Dr. João Seda Neto, Cirurgião, CRM 82280; (Responsável Técnico)
  2. Dr. Paulo Chapchap, Cirurgião, CRM 34774;
  3. Dr. Eduardo Antunes da Fonseca, Cirurgião, CRM 62226;
  4. Dr. Marcel Albeiro Luiz Benavides, Cirurgião, CRM 103433;
  5. Dr. Rodrigo Vincenzi, Cirurgião, CRM 104586;
  6. Dra. Karina Moreira de Oliveira Roda, Cirurgiã, CRM 133977;
  7. Dr. Plinio Turine Neto, Cirurgião, CRM 152219;
  8. Dra. Amanda Castelo Branco Contente, CRM 174572;
  9. Dr. Mario Kondo, Gastroenterologista, CRM 47175;
  10. Dra. Gilda Porta, Hepatologia, CRM 20466;
  11. Dr. Enis Donizete Silva, Anestesista, CRM 58650;
  12. Dr. Fernando David Goheler, Anestesista, CRM 66291.

Equipe de Transplante de Coração e Implante de Dispositivos de Assistência Circulatória Mecânica

  1. Dr. Fábio Biscegli Jatene, Cirurgião Cardiovascular, CRM 33865; (Responsável Técnico)2
  2. Dr. Marcelo Biscegli Jatene, Cirurgião Cardiovascular, CRM 49952;
  3. Dr. Paulo Manuel Pego Fernandes, Cirurgião Cardiovascular, CRM 45214;
  4. Dr. Fabio Antonio Gaiotto, Cirurgião Cardiovascular, CRM 81565;
  5. Dr. Ramez Anbar, Cirurgião Cardiovascular, CRM 73647;
  6. Dr. André Micheletto Laurino, Cirurgião Cardiovascular, CRM 106005;
  7. Dr. Bruno Biselli, Cardiologista. CRM 131775;
  8. Dra. Mônica Samuel Ávila, Cardiologista, CRM 121938;
  9. Dra. Silvia Moreira Ayub Ferreira, Cardiologista, CRM 75810;
  10. Dr. Diogo Osternack Curi Lage, Cirurgião Cardiovascular, CRM 133046;
  11. Dr. Danilo Ribeiro Galantini, Cardiologista, CRM 130528;
  12. Dra. Renata Lopes HAmes, Cardiologista, CRM 139419;
  13. Dr. Fernando David Goheler, Anestesista, CRM 66291;
  14. Dr. Enis Donizete Silva, Anestesista, CRM 58650.


Colaboração
Escritório de Projetos de Responsabilidade Social SBSHSL
Instituto de Responsabilidade Social Hospital Sírio-Libanês
Hospital Municipal Infantil Menino Jesus


Área Técnica
Secretaria de Atenção à Saúde
Departamento de Atenção Especializada e Temática
Coordenação Geral do Sistema Nacional de Transplantes
(CGSNT/DAET/SAS/MS)

INDICADORES

CONHEÇA OUTROS PROJETOS
Processando