Programa de Cuidados Paliativos no SUS - Atenção Hospitalar, Ambulatorial Especializada e Atenção Domiciliar
Hospital Sírio-Libanês

Programa de Cuidados Paliativos no SUS - Atenção Hospitalar, Ambulatorial Especializada e Atenção Domiciliar
Cuidados Paliativos (CP)
2018-2020

Hospital Sírio-Libanês
Resumo
Este projeto é uma iniciativa PROADI colaborativa entre o Hospital Sírio Libanês e Hospital Albert Einstein, para impulsionar a organização e desenvolvimento dos Cuidados Paliativos (CP) no Brasil, visando integrar a prática de cuidados paliativos em toda a rede de atenção à saúde (atenção básica, cuidados ambulatoriais, domiciliares, hospitalares) a pacientes e famílias do Sistema Único de Saúde (SUS) de forma a propiciar cuidados continuados integrados. O Hospital Sírio Libanês ficou responsável pela parte de cuidados ambulatoriais, domiciliares, hospitalares.

O CP no século XXI significa desenvolver competências para cuidar do sofrimento físico, psíquico, social e espiritual de pacientes que enfrentam doenças que ameaçam a vida e de seus familiares, pode e deve ser integrado precocemente ao cuidado que busca a cura ou o controle da doença. Este cuidado gera impacto em qualidade de vida com fortes evidências nos meios científicos  e com forte impacto econômico, no entanto,  apesar da recomendação da  Organização Mundial de Saúde (OMS) com relação à organização do cuidado paliativo, o Brasil apresenta desenvolvimento insuficiente ainda, quando comparado a outros países da América Latina (OMS).



Introdução

O projeto Programa de Cuidados Paliativos no SUS - Atenção Hospitalar, Ambulatorial Especializada e Atenção Domiciliar é uma iniciativa PROADI colaborativa entre o Hospital Sírio Libanês e Hospital Albert Einsteintem como objetivo principal desenvolver Programa de Cuidados Paliativos, visando integrar a prática de cuidados paliativos em toda a rede de atenção à saúde (atenção básica, cuidados ambulatoriais, domiciliares, hospitalares) a pacientes e famílias do Sistema Único de Saúde (SUS) de forma a propiciar cuidados continuados integrados. 

O CP no século XXI significa desenvolver competências para cuidar do sofrimento físico, psíquico, social e espiritual de pacientes que enfrentam doenças que ameaçam a vida e de seus familiares, pode e deve ser integrado precocemente ao cuidado que busca a cura ou o controle da doença. Este cuidado gera impacto em qualidade de vida com fortes evidências nos meios científicos  e com forte impacto econômico, no entanto,  apesar da recomendação da  Organização Mundial de Saúde (OMS) com relação à organização do cuidado paliativo, o Brasil apresenta desenvolvimento insuficiente ainda, quando comparado a outros países da América Latina (OMS).

Apesar das evidências e das recomendações mundiais, nosso país ainda se encontra em um nível de desenvolvimento e de acessibilidade a cuidado paliativo bastante rudimentar, que fica evidente no Atlas Global de Cuidado Paliativo publicado em 2014 pela OMS. Neste levantamento, o Brasil recebeu a Classificação 3 A, que caracteriza países onde a provisão de CP é oferecida de maneira isolada, irregular e não bem apoiada, com fontes de financiamento fortemente dependente de doações, disponibilidade limitada de morfina e um pequeno número de serviços comparado ao tamanho da população.

 

 



Métodos

O projeto foi estruturado como um plano de implementação do “Programa de Cuidados Paliativos”, cujos objetivos são:

1- Estruturação de plano operativo do “Programa de Cuidados Paliativos”, visando aumento da qualidade, otimização do custo-benefício e melhora do desempenho assistencial para esse tipo de cuidado.

2- Conscientização e sensibilização de colaboradores em relação ao CP.

3- Realização de discussões de casos, gestão de entrada e desfecho clínico de pacientes.

As fases do projeto são:
1 - Diagnóstico inicial - Realização de reunião com os gestores e visitas às áreas para coleta de informações e avaliação da existência / maturidade do processo / linha de cuidado para pacientes com necessidades de cuidados paliativos; identificação e análise de indicadores referentes a este processo; identificação macro de oportunidades de melhoria do processo; agrupamento e priorização dos potenciais focos de atuação identificados; validação do diagnóstico realizado.
2 - Definição e desenho do processo futuro de CP - Definição do modelo futuro ideal; definição de ações de melhoria; elaboração de matriz de priorização de ações; elaboração do Plano de Implementação de ações; validação do material elaborado.
3 - Sensibilização e capacitação de gestores e equipes - Aplicação do plano de treinamento para orientação, capacitação e sensibilização de gestores e equipes em relação ao programa de CP.
4 - Apoio à implementação do processo definido - Suporte aos responsáveis pelas ações definidas na gestão e execução das atividades a serem implementadas, utilizando melhores práticas em gestão de projetos; planejamento e acompanhamento de visitas de assessoria para compartilhar experiência e melhores práticas; auxilio na definição e desenho detalhado do novo processo; revisão / validação dos materiais elaborados para o projeto.
5 - Gestão da mudança - Mapeamento de pontos de impacto para o sucesso da implementação do centro de cuidados paliativos e elaboração do plano de comunicação



Resultados

O projeto tem início previsto para março de 2020 e os resultados esperados são:

- A concientização e sensibilização dos profissionais é central no projeto, já que o desconhecimento das técnicas de CP pode trazer prejuízos e sofrimentos aos pacientes, além de onerar o SUS. A melhora na gestão do Cuidado e na qualidade da assistência serão consequências deste processo.
- Espera-se redução do uso de recursos de saúde com alocação mais adequada às necessidades do paciente e sua família, através da prevenção quaternária.
- Uma grande contribuição para evolução do CP no Brasil pode ser a publicação do Manual de Cuidados Paliativos Hospitalar e de um estudo multicêntrico sobre a experiência de implantação, que adeque os cuidados aos nossos contextos, produzindo conhecimento para o país enfentar suas dificuldades no tema.



Liderança
Gerente técnico
Daniel Neves Forte
http://lattes.cnpq.br/2006533923247866

Gerente do projeto
Carina Tischler Pires
https://www.linkedin.com/in/carina-tischler-pires-82499540/

Equipe
Equipe em processo de contratação

Colaboração


Área Técnica
Ministério da Saúde
Departamento de Atenção Hospitalar e de Urgência (DAHU)
Conselho Nacional de Secretários de Saúde (CONASS)

INDICADORES

CONHEÇA OUTROS PROJETOS
Processando