Enfrentamento do Novo Coronavírus por meio da ampliação do acesso à APS
Hospital Israelita Albert Einstein

Enfrentamento do Novo Coronavírus por meio da ampliação do acesso à APS
Consulta Virtual APS - Antigo
2018-2020

Enfrentamento do Novo Coronavírus por meio da ampliação do acesso à APS
Resumo


Resumo


Resumo
A Telemedicina é a prestação de serviços em saúde usando TIC (Tecnologias da Informação e Comunicação) para o intercâmbio de informações válidas para promoção da saúde, prevenção de doenças, diagnóstico e tratamento de pacientes, além de educação permanente dos profissionais envolvidos, bem como a condução de avaliações e pesquisas científicas. Trata-se de uma tecnologia alinhada aos princípios de equidade, universalidade e igualdade, ao ampliar o acesso aos serviços de saúde, trazer maior resolubilidade com segurança e qualidade da prática médica.

A declaração de Emergência em Saúde Pública de Importância Nacional (ESPIN) decretada pela Portaria nº 1881, de 3 de fevereiro de 2020, em decorrência da Infecção Humana pelo Novo Coronavírus, exige da administração pública ações rápidas para contenção de transmissibilidade, informação e atendimento em saúde para a população. Sendo assim, outras leis e projetos de lei foram aprovados dispondo sobre as medidas para enfrentamento da ESPIN supracitada, o que possibilitou inovar em novas soluções como forma de conter a pandemia e sobre a regulamentação do exercício da medicina mediado por TIC.

Este projeto pretende integrar a estratégia TeleSUS do Ministério da Saúde às iniciativas em Telemedicina, ampliando e qualificando o acesso da população brasileira ao serviço de saúde com segurança. Além disso reduz as filas no pronto-atendimento físico, contribuindo para a correta priorização de casos de maior gravidade, bem como diminui a exposição e o risco dos pacientes à contaminação.

A operacionalização será por meio da disponibilização de um sistema de teleconsulta que contempla: acesso à interface de agendamento de consultas e solicitação de atendimento, via web e aplicativo móvel; realização da videoconferência entre o paciente e profissional da saúde; registro das informações do atendimento e envio automático de prescrições eletrônicas certificadas digitalmente (orientações, medicamentos, atestados e pedidos de exames); envio de pesquisa referente a experiência de teleconsulta; visualização de dashboard analítico em tempo real.

Tendo em vista a celeridade necessária de atuação em situação emergencial de pandemia, será disponibilizado o acesso imediato e treinamento para a navegação no sistema para até 20 mil profissionais de saúde que atuam nos estabelecimentos vinculados à APS, bem como manutenção e suporte técnico do sistema, 24 horas por dia, 7 dias por semana. Até julho de 2020 foram contatados 4.502 profissionais, foram certificados 991 médicos e são 554 médicos ativos no sistema de telemedicina.

Com a iniciativa de fortalecer o uso da Telemedicina pretende-se aumentar a qualidade e resolubilidade dos atendimentos ao paciente; evitar a ida de pessoas com sintomas leves aos serviços de APS, de urgências ou hospitais, evitando a circulação de pessoas com potencial risco de transmissão e a superlotação das unidades; e, consequentemente, reduzir o número de casos e óbitos por COVID-19 no Brasil.

Resumo
A Telemedicina é a prestação de serviços em saúde usando TIC (Tecnologias da Informação e Comunicação) para o intercâmbio de informações válidas para promoção da saúde, prevenção de doenças, diagnóstico e tratamento de pacientes, além de educação permanente dos profissionais envolvidos, bem como a condução de avaliações e pesquisas científicas. Trata-se de uma tecnologia alinhada aos princípios de equidade, universalidade e igualdade, ao ampliar o acesso aos serviços de saúde, trazer maior resolubilidade com segurança e qualidade da prática médica.

A declaração de Emergência em Saúde Pública de Importância Nacional (ESPIN) decretada pela Portaria nº 1881, de 3 de fevereiro de 2020, em decorrência da Infecção Humana pelo Novo Coronavírus, exige da administração pública ações rápidas para contenção de transmissibilidade, informação e atendimento em saúde para a população. Sendo assim, outras leis e projetos de lei foram aprovados dispondo sobre as medidas para enfrentamento da ESPIN supracitada, o que possibilitou inovar em novas soluções como forma de conter a pandemia e sobre a regulamentação do exercício da medicina mediado por TIC.

Este projeto pretende integrar a estratégia TeleSUS do Ministério da Saúde às iniciativas em Telemedicina, ampliando e qualificando o acesso da população brasileira ao serviço de saúde com segurança. Além disso reduz as filas no pronto-atendimento físico, contribuindo para a correta priorização de casos de maior gravidade, bem como diminui a exposição e o risco dos pacientes à contaminação.

A operacionalização será por meio da disponibilização de um sistema de teleconsulta que contempla: acesso à interface de agendamento de consultas e solicitação de atendimento, via web e aplicativo móvel; realização da videoconferência entre o paciente e profissional da saúde; registro das informações do atendimento e envio automático de prescrições eletrônicas certificadas digitalmente (orientações, medicamentos, atestados e pedidos de exames); envio de pesquisa referente a experiência de teleconsulta; visualização de dashboard analítico em tempo real.

Tendo em vista a celeridade necessária de atuação em situação emergencial de pandemia, será disponibilizado o acesso imediato e treinamento para a navegação no sistema para até 20 mil profissionais de saúde que atuam nos estabelecimentos vinculados à APS, bem como manutenção e suporte técnico do sistema, 24 horas por dia, 7 dias por semana. Até julho de 2020 foram contatados 4.502 profissionais, foram certificados 991 médicos e são 554 médicos ativos no sistema de telemedicina.

Com a iniciativa de fortalecer o uso da Telemedicina pretende-se aumentar a qualidade e resolubilidade dos atendimentos ao paciente; evitar a ida de pessoas com sintomas leves aos serviços de APS, de urgências ou hospitais, evitando a circulação de pessoas com potencial risco de transmissão e a superlotação das unidades; e, consequentemente, reduzir o número de casos e óbitos por COVID-19 no Brasil.

Introdução


Métodos


Introdução


Métodos


Introdução

A Telemedicina é a prestação de serviços em saúde usando TIC (Tecnologias da Informação e Comunicação) para o intercâmbio de informações válidas para promoção da saúde, prevenção de doenças, diagnóstico e tratamento de pacientes, além de educação permanente dos profissionais envolvidos, bem como a condução de avaliações e pesquisas científicas. Hoje, a Telemedicina está inserida em um conceito conhecido mundialmente como Saúde Digital (eHealth).

Sabe-se que as queixas de baixa complexidade são responsáveis por até 90% dos atendimentos de pronto-atendimento e a possibilidade de atender estas queixas por meio de telemedicina permite a redução dos custos das estruturas das unidades convencionais, uma vez que estas são projetadas para atendimentos de maior complexidade.

No âmbito do Sistema Único da Saúde (SUS), as iniciativas em Telemedicina têm como finalidade a expansão e melhoria da rede de serviços de saúde. A Telemedicina fortalece o papel da APS como ordenadora do cuidado, qualificando o deslocamento físico de pacientes (pacientes certos, no lugar certo e na hora certa) com redução de custos e riscos, ampliando a qualidade e aumentando a resolubilidade e evitando a sobrecarga dos serviços públicos de saúde. Nesse sentido, a consulta à distância pode se tornar peça central na ampliação do acesso, ao possibilitar ao médico manejar as condições de saúde comuns à APS, coordenando os fluxos de pessoas e informações, monitorando os pacientes na sua trajetória de cuidado.

Este projeto pretende integrar a estratégia TeleSUS do Ministério da Saúde à Telemedicina, ampliando o acesso à APS com segurança, relacionado a uma melhor experiência aos pacientes, provendo maior comodidade e agilidade, inicialmente no atendimento médico. Além disso, reduz as filas no pronto-atendimento físico, contribuindo para a correta priorização de casos urgentes e de maior gravidade, bem como diminui a exposição e o risco dos pacientes à contaminação por doenças infectocontagiosas e ao COVID-19.



Métodos

A operacionalização do uso da Telemedicina será por meio de disponibilização de um sistema de teleconsulta que contempla: acesso a interface de agendamento de consultas e solicitação de atendimento espontâneo, via web e aplicativo móvel; realização da videoconferência entre o paciente e o profissional da saúde; registro das informações do atendimento e envio automático de prescrições eletrônicas certificadas digitalmente (orientações, medicamentos, atestado de afastamento e pedidos de exames médicos); envio de pesquisa de satisfação referente a experiência de teleconsulta; visualização de dashboard analítico em tempo real.

Tendo em vista a celeridade necessária de atuação em situação emergencial de pandemia pelo Novo Coronavírus, o Centro de Telemedicina Einstein disponibilizará acesso imediato e treinamento para a navegação no sistema para até 20 mil profissionais de saúde que atuam nos estabelecimentos vinculados à APS, bem como manutenção e suporte técnico do sistema, 24 horas por dia, 7 dias por semana.

Para paciente usufruir desse serviço, ele precisará dispor de um dispositivo com áudio, vídeo e conexão de internet mínima de 4 mbps. Ele poderá solicitar o atendimento por demanda espontânea ou programada, fazendo uma solicitação à distância de agendamento de consulta à equipe administrativa do estabelecimento de saúde vinculado à APS. A teleconsulta entre o paciente e o profissional de saúde poderá ser realizada via contato telefônico ou videoconferência, a depender do motivo da consulta, afinidade digital do paciente, disponibilidade de recursos tecnológicos, dentre outros.

Para que o profissional de saúde possa realizar a consulta à distância, será necessário realizar o seu cadastro no sistema de teleconsulta e a emissão de um certificado digital para viabilizar o seu acesso ao sistema e a emissão de documentos eletrônicos certificados. Após o atendimento virtual, o paciente receberá um relatório da consulta e uma prescrição certificada pelo profissional.



Introdução

A Telemedicina é a prestação de serviços em saúde usando TIC (Tecnologias da Informação e Comunicação) para o intercâmbio de informações válidas para promoção da saúde, prevenção de doenças, diagnóstico e tratamento de pacientes, além de educação permanente dos profissionais envolvidos, bem como a condução de avaliações e pesquisas científicas. Hoje, a Telemedicina está inserida em um conceito conhecido mundialmente como Saúde Digital (eHealth).

Sabe-se que as queixas de baixa complexidade são responsáveis por até 90% dos atendimentos de pronto-atendimento e a possibilidade de atender estas queixas por meio de telemedicina permite a redução dos custos das estruturas das unidades convencionais, uma vez que estas são projetadas para atendimentos de maior complexidade.

No âmbito do Sistema Único da Saúde (SUS), as iniciativas em Telemedicina têm como finalidade a expansão e melhoria da rede de serviços de saúde. A Telemedicina fortalece o papel da APS como ordenadora do cuidado, qualificando o deslocamento físico de pacientes (pacientes certos, no lugar certo e na hora certa) com redução de custos e riscos, ampliando a qualidade e aumentando a resolubilidade e evitando a sobrecarga dos serviços públicos de saúde. Nesse sentido, a consulta à distância pode se tornar peça central na ampliação do acesso, ao possibilitar ao médico manejar as condições de saúde comuns à APS, coordenando os fluxos de pessoas e informações, monitorando os pacientes na sua trajetória de cuidado.

Este projeto pretende integrar a estratégia TeleSUS do Ministério da Saúde à Telemedicina, ampliando o acesso à APS com segurança, relacionado a uma melhor experiência aos pacientes, provendo maior comodidade e agilidade, inicialmente no atendimento médico. Além disso, reduz as filas no pronto-atendimento físico, contribuindo para a correta priorização de casos urgentes e de maior gravidade, bem como diminui a exposição e o risco dos pacientes à contaminação por doenças infectocontagiosas e ao COVID-19.



Métodos

A operacionalização do uso da Telemedicina será por meio de disponibilização de um sistema de teleconsulta que contempla: acesso a interface de agendamento de consultas e solicitação de atendimento espontâneo, via web e aplicativo móvel; realização da videoconferência entre o paciente e o profissional da saúde; registro das informações do atendimento e envio automático de prescrições eletrônicas certificadas digitalmente (orientações, medicamentos, atestado de afastamento e pedidos de exames médicos); envio de pesquisa de satisfação referente a experiência de teleconsulta; visualização de dashboard analítico em tempo real.

Tendo em vista a celeridade necessária de atuação em situação emergencial de pandemia pelo Novo Coronavírus, o Centro de Telemedicina Einstein disponibilizará acesso imediato e treinamento para a navegação no sistema para até 20 mil profissionais de saúde que atuam nos estabelecimentos vinculados à APS, bem como manutenção e suporte técnico do sistema, 24 horas por dia, 7 dias por semana.

Para paciente usufruir desse serviço, ele precisará dispor de um dispositivo com áudio, vídeo e conexão de internet mínima de 4 mbps. Ele poderá solicitar o atendimento por demanda espontânea ou programada, fazendo uma solicitação à distância de agendamento de consulta à equipe administrativa do estabelecimento de saúde vinculado à APS. A teleconsulta entre o paciente e o profissional de saúde poderá ser realizada via contato telefônico ou videoconferência, a depender do motivo da consulta, afinidade digital do paciente, disponibilidade de recursos tecnológicos, dentre outros.

Para que o profissional de saúde possa realizar a consulta à distância, será necessário realizar o seu cadastro no sistema de teleconsulta e a emissão de um certificado digital para viabilizar o seu acesso ao sistema e a emissão de documentos eletrônicos certificados. Após o atendimento virtual, o paciente receberá um relatório da consulta e uma prescrição certificada pelo profissional.



Resultados


Resultados


Resultados

Até julho de 2020 foram contatados 4.502 profissionais, foram emitidos 2.616 vouchers para certificação digital, foram certificados 991 médicos e são 554 médicos ativos no sistema da Telemedicina do Sociedade Beneficente Israelita Brasileira Albert Einstein (SBIBAE). Além disso, há 3.889 registros no sistema, sendo 1.947 de prescrições simples, 832 de receituários especiais, 425 de atestado médico e 685 de solicitação de exames.




Resultados

Até julho de 2020 foram contatados 4.502 profissionais, foram emitidos 2.616 vouchers para certificação digital, foram certificados 991 médicos e são 554 médicos ativos no sistema da Telemedicina do Sociedade Beneficente Israelita Brasileira Albert Einstein (SBIBAE). Além disso, há 3.889 registros no sistema, sendo 1.947 de prescrições simples, 832 de receituários especiais, 425 de atestado médico e 685 de solicitação de exames.




Liderança


Equipe


Colaboração


Área Técnica


Liderança


Equipe


Colaboração


Área Técnica


Liderança

Dr. Eduardo Cordioli – Hospital Israelita Albert Einstein, São Paulo, SP

André Pires dos Santos – Hospital Israelita Albert Einstein, São Paulo, SP

Equipe

Adernando Morbeck – Hospital Israelita Albert Einstein, São Paulo, SP

Cássia de Canha Coelhoso – Hospital Israelita Albert Einstein, São Paulo, SP

Dalete Braga de Almeida – Hospital Israelita Albert Einstein, São Paulo, SP

Daniel Granero Molina – Hospital Israelita Albert Einstein, São Paulo, SP

Diogo Henrique Soares Santos – Hospital Israelita Albert Einstein, São Paulo, SP

Enryson Oliveira Ferraz – Hospital Israelita Albert Einstein, São Paulo, SP

Fernanda Azevedo Cabrera – Hospital Israelita Albert Einstein, São Paulo, SP

Gabriel Costa Santos Meireles – Hospital Israelita Albert Einstein, São Paulo, SP

Gustavo Henrique M. Batistuti – Hospital Israelita Albert Einstein, São Paulo, SP

Júlio César Oliveira da Silva – Hospital Israelita Albert Einstein, São Paulo, SP

Khalil Mohamad Saada – Hospital Israelita Albert Einstein, São Paulo, SP

Letícia Maria Minarelli Ribeiro – Hospital Israelita Albert Einstein, São Paulo, SP

Marcos Paulo Vieira Bolzan – Hospital Israelita Albert Einstein, São Paulo, SP

Otavio de Souza Silva – Hospital Israelita Albert Einstein, São Paulo, SP

Thamila Oliveira – Hospital Israelita Albert Einstein, São Paulo, SP

Vanilson Leite – Hospital Israelita Albert Einstein, São Paulo, SP



Colaboração


Área Técnica
Departamento de Saúde Digital da Secretaria Executiva do Ministério da Saúde (DESD/SE/MS).

Liderança

Dr. Eduardo Cordioli – Hospital Israelita Albert Einstein, São Paulo, SP

André Pires dos Santos – Hospital Israelita Albert Einstein, São Paulo, SP

Equipe

Adernando Morbeck – Hospital Israelita Albert Einstein, São Paulo, SP

Cássia de Canha Coelhoso – Hospital Israelita Albert Einstein, São Paulo, SP

Dalete Braga de Almeida – Hospital Israelita Albert Einstein, São Paulo, SP

Daniel Granero Molina – Hospital Israelita Albert Einstein, São Paulo, SP

Diogo Henrique Soares Santos – Hospital Israelita Albert Einstein, São Paulo, SP

Enryson Oliveira Ferraz – Hospital Israelita Albert Einstein, São Paulo, SP

Fernanda Azevedo Cabrera – Hospital Israelita Albert Einstein, São Paulo, SP

Gabriel Costa Santos Meireles – Hospital Israelita Albert Einstein, São Paulo, SP

Gustavo Henrique M. Batistuti – Hospital Israelita Albert Einstein, São Paulo, SP

Júlio César Oliveira da Silva – Hospital Israelita Albert Einstein, São Paulo, SP

Khalil Mohamad Saada – Hospital Israelita Albert Einstein, São Paulo, SP

Letícia Maria Minarelli Ribeiro – Hospital Israelita Albert Einstein, São Paulo, SP

Marcos Paulo Vieira Bolzan – Hospital Israelita Albert Einstein, São Paulo, SP

Otavio de Souza Silva – Hospital Israelita Albert Einstein, São Paulo, SP

Thamila Oliveira – Hospital Israelita Albert Einstein, São Paulo, SP

Vanilson Leite – Hospital Israelita Albert Einstein, São Paulo, SP



Colaboração


Área Técnica
Departamento de Saúde Digital da Secretaria Executiva do Ministério da Saúde (DESD/SE/MS).

INDICADORES

CONHEÇA OUTROS PROJETOS
Processando