Melhoria dos Sistemas de Gestão dos Hospitais SUS - Monitoramento de Informações Gerenciais e Desenvolvimento de Consultorias de Gestão
Hospital Israelita Albert Einstein

Melhoria dos Sistemas de Gestão dos Hospitais SUS - Monitoramento de Informações Gerenciais e Desenvolvimento de Consultorias de Gestão
Consultoria em Gestão
2018-2020

Melhoria dos Sistemas de Gestão dos Hospitais SUS - Monitoramento de Informações Gerenciais e Desenvolvimento de Consultorias de Gestão
Resumo

A complexidade e os desafios do sistema de saúde estão mobilizando as instituições para a necessidade de implementar melhorias na gestão, intensificando a busca de oportunidades para obter resultados, tanto através de ganhos de eficiência operacional como  na elevação dos níveis de prestação de serviços à população. Um dos principais aspectos para uma gestão mais eficaz passa pela identificação e priorização das principais oportunidades de melhoria, apoiadas por boas análises de dados, que proverão informações para orientar a tomada de decisão. 

Os estabelecimentos de saúde, independentemente se públicos ou privados, exigem cada vez mais o desenvolvimento e a aplicação de técnicas, ferramentas e metodologias de gestão para responder a alguns desafios que devem ser parte integrante da agenda dos gestores de saúde. 

Neste cenário de lacunas crescentes entre a demanda por serviços de saúde e os recursos financeiros disponíveis, com progressiva incorporação tecnológica, altos custos de medicamentos e materiais, os gestores têm sido forçados a utilizar melhor todos os recursos disponíveis, reduzindo os desperdícios na cadeia de prestação de serviços ao paciente, exigindo um esforço coordenado e responsabilidade compartilhada. 

A sobrevivência das instituições está atrelada à busca da excelência operacional, que não deve ser compreendida de forma simplista como apenas a execução dos processos, considerando a organização dos fluxos de  materiais, ferramentas e tarefas, mas decorrente do seu modelo de atenção e estruturação dos serviços que integram o fluxo do paciente. 

A partir desse cenário, o projeto tem como principal objetivo apoiar os hospitais selecionados na melhoria da eficiência operacional e dos resultados, por meio da capacitação de colaboradores no método de gestão, do apoio à priorização de ações de melhoria e medição dos resultados.



Introdução

A complexidade e os desafios do sistema de saúde estão mobilizando as instituições para a necessidade de implementar melhorias na gestão, intensificando a busca  de oportunidades para obter resultados, tanto por meio de ganhos de eficiência operacional como na elevação dos níveis de prestação de serviços à população. Um dos principais aspectos para uma gestão mais eficaz passa pela identificação e priorização das oportunidades de melhoria, apoiadas por boas análises de dados, que proverão informações para orientar a tomada de decisão.

Neste cenário de lacunas crescentes entre a demanda por serviços de saúde e os recursos financeiros disponíveis, com progressiva incorporação tecnológica, altos custos de medicamentos e materiais, os gestores têm sido forçados a utilizar melhor todos os recursos disponíveis, reduzindo os desperdícios na cadeia de prestação de serviços ao paciente, exigindo um esforço coordenado e responsabilidade compartilhada.

Os hospitais filantrópicos possuem ampla atuação no âmbito do SUS, sendo responsáveis por mais de 60% dos atendimentos ambulatoriais e 70% das internações na rede SUS. A sua dimensão e relevância nacional podem ser comprovadas pelos mais de 2.100 hospitais distribuídos pelo país, ofertando 130 mil leitos (SUS) e empregando mais de 520 mil profissionais diretamente.

Entretanto, apesar da relevância destas instituições para assistência da população, muitos hospitais passam por diversos desafios como aumento da demanda, subfinanciamento, custos elevados e instabilidade econômica; mas, há uma questão fundamental que faz com que muitas delas não apresentem bons resultados: deficiências na gestão.

O objetivo deste projeto é apoiar os hospitais selecionados que prestam assistência aos usuários do SUS na melhoria da eficiência operacional e dos resultados, e que essa iniciativa tenha repercussão nos serviços prestados à população.

Métodos

Em uma primeira fase, o Ministério da Saúde definiu os critérios mínimos necessários para que os hospitais pudessem aderir e participar do projeto: mais de 100 leitos destinados ao SUS, possuir CEBAS ativo, não estar sob intervenção e não possuir acreditação (Joint Commission International, Qmentum ou ONA, nível 3).  

Após a seleção dos hospitais, para se obter os resultados pretendidos no objetivo do projeto, realizou-se um diagnóstico econômico-financeiro e operacional, buscando-se identificar e priorizar um problema crítico para ser trabalhado dentro da instituição. Após a definição do escopo do projeto em cada hospital, a equipe de consultores iniciou a atuação direta nos hospitais, seguindo os passos:

  1. Conhecer o problema, estabelecendo o indicador global a ser acompanhado, aprofundando a análise de dados do problema e definindo e divulgando a meta;
  2. Estratificar o problema, levantando fatos e dados sobre o problema, desdobrando e analisando o problema geral em problemas específicos, sob vários pontos de vista, permitindo o entendimento de como ele se manifesta e assim possibilitando a definição de metas específicas;
  3. Identificar as causas do problema, realizando reuniões de brainstorming com as equipes para a identificação e priorização das causas fundamentais;
  4. Elaborar planos de ação, discutindo as medidas adequadas para eliminar as causas fundamentais;
  5. Acompanhar os resultados e a execução dos planos de ação, bem como a análise de desvios e definição de ações corretivas.


Resultados

O projeto Consultoria em Gestão iniciou em julho de 2018. Até setembro de 2019, 85 hospitais de 19 estados participam do projeto. 

Do início do projeto até o momento, mais de 600 colaboradores das instituições participantes foram treinados em Método de Melhoria de Resultados (30 horas de capacitação/colaborador) e aproximadamente 1.000 ações foram priorizadas.

Liderança

Anarita Buffé – Hospital Israelita Albert Einstein, São Paulo, SP
Flávia Gonçalves Calixto dos Santos – Hospital Israelita Albert Einstein, São Paulo, SP



Equipe
Consultoria Einstein – Hospital Israelita Albert Einstein, São Paulo, SP

Colaboração
Amanda Alves Vidal – Hospital Israelita Albert Einstein, São Paulo, SP - Linkedin
Fernanda Pahim Santos - Hospital Israelita Albert Einstein, São Paulo, SP - Linkedin
Gedivânia da Silva Pereira - Hospital Israelita Albert Einstein, São Paulo, SP - Linkedin
Renato Tanjoni - Hospital Israelita Albert Einstein, São Paulo, SP - Linkedin
Silvia Lefone Milan - Hospital Israelita Albert Einstein, São Paulo, SP - Linkedin
Tamires Prodocimo Cunha - Hospital Israelita Albert Einstein, São Paulo, SP - Linkedin
Kauê Kamia de Menezes - Hospital Israelita Albert Einstein, São Paulo, SP - Linkedin


Área Técnica
Coordenação-Geral de Atenção Hospitalar e Domiciliar (CGAHD)
Departamento de Atenção Hospitalar e de Urgência (DAHU)
Secretaria de Atenção Especializada à Saúde (SAES)


INDICADORES

NOTÍCIAS RELACIONADAS

Hospitais membros do PROADI-SUS marcam presença no Fórum Estadão Think
05.11.2019
Hospitais membros do PROADI-SUS marcam presença no Fórum Estadão Think
O Programa de Apoio ao Desenvolvimento Institucional do Sistema Único de Saúde (PROADI-SUS) comemora, em 2019, 10...
CONHEÇA OUTROS PROJETOS
Processando