Desenvolvimento gerencial integrado da linha de atenção às urgências no ambiente intra-hospitalar
Hospital do Coração

Desenvolvimento gerencial integrado da linha de atenção às urgências no ambiente intra-hospitalar
Desenvolvimento Gerencial
2018-2020

Desenvolvimento gerencial integrado da linha de atenção às urgências no ambiente intra-hospitalar
Resumo

De abrangência nacional e com foco em hospitais de alta complexidade, este projeto tem como público-alvo gestores hospitalares, a fim de realizar a implementação de intervenções voltadas para gestão da assistência. Deverá ser realizado em quatro Estados pactuados com o Ministério da Saúde com a previsão da formação de 40 tutores e 400 profissionais dos hospitais de oito a 12 hospitais participantes por Estado, dependendo da adesão e pactuação com as Secretarias de Saúde do estado e municípios indicados.

Considerando a Política Nacional de Atenção às Urgências, o componente hospitalar, por ser uma das principais portas de acesso ao Sistema Único de Saúde, enfrenta problemas como a superlotação dos serviços de urgência e a insuficiência e a frágil qualidade das linhas de atenção na rede de saúde.

A profissionalização tem sido discutida à luz de conceitos como gestão baseada em evidência e a gestão clínica, como meio de qualificação assistencial, segurança aos pacientes e de comprometimento com resultados assistenciais aos usuários do SUS. A Portaria nº 4.279 de 2010, do Ministério da Saúde, evidencia o enfoque na qualidade ao estabelecer que a gestão clínica é a aplicação de tecnologias de microgestão dos serviços de saúde com a finalidade de assegurar padrões clínicos e melhorar a qualidade da atenção à saúde.

O projeto tem como objetivo apoiar e acompanhar a implementação de intervenções voltadas para gestão da assistência, contribuindo para qualificação da linha de atenção aos pacientes agudos e agudizados no ambiente intra-hospitalar no contexto da Rede de Atenção às Urgências.

Este projeto fundamenta-se nos princípios da Política de Educação Permanente em Saúde, do planejamento estratégico situacional, e da ciência da melhoria do cuidado em saúde. Portanto a estrutura e dinâmica divide-se em encontros presenciais e ambiente virtual. É utilizado o Método da Problematização que orienta o desenvolvimento das atividades.

O público alvo são profissionais hospitalares com funções de gestão e tutores. O conteúdo divide-se em três Núcleos Temáticos: Gestão Hospitalar - Planejamento, Monitoramento e Avaliação; Rede de Atenção às Urgências no âmbito do SUS; Gestão Clínica e a Atenção às Urgências no Ambiente Intra-Hospitalar. Com carga horária de 210 horas. É construído um projeto aplicativo a partir da análise e priorização dos problemas identificados no diagnóstico situacional.

O Projeto está sendo desenvolvido nos estados:

 - Goiás participaram 12 hospitais, 134 participantes inscritos e 12 tutores.

- Paraíba participaram 12 hospitais, 121 participantes inscritos e 10 tutores.

- Mato Grosso participam 10 hospitais, 106 participantes e 10 tutores. 

- Construção e aplicação do diagnóstico situacional em 34 hospitais, este envolve o levantamento de informações sobre os distintos serviços constituintes da gestão do fluxo das urgências;

- Construção do Projeto Aplicativo, a partir da análise e priorização dos problemas identificados no diagnóstico situacional.



Introdução
De abrangência nacional e com foco em hospitais de alta complexidade, este projeto tem como público-alvo gestores hospitalares, a fim de realizar a implementação de intervenções que favoreçam a introdução de mudanças, alicerçadas em conhecimentos da prática assistencial e científicos, no enfrentamento da superlotação e do desafio de um acesso qualificado, mediante a melhoria gerencial na operação dos serviços e no cuidado integrado aos pacientes. Deverá ser realizado em quatro Estados pactuados com o Ministério da Saúde com a previsão da formação de 40 tutores e 400 profissionais de oito a 12 hospitais por Estado, dependendo da adesão e pactuação com as respectivas Secretarias de Saúde.

A Política Nacional de Atenção às Urgências de 2011 coloca em pauta permanente a discussão sobre a atenção às urgências. O componente hospitalar ocupa importância neste contexto, por ser uma das principais portas de acesso ao SUS, e enfrenta problemas como superlotação e insuficiência e frágil qualidade das linhas de atenção na rede de saúde.

A profissionalização tem sido discutida à luz de conceitos como gestão baseada em evidência e gestão clínica, como meio de qualificação assistencial, segurança aos pacientes e comprometimento com resultados assistenciais. A Portaria nº 4.279 de 2010, do Ministério da Saúde, estabelece que a gestão clínica é a aplicação de tecnologias de microgestão dos serviços de saúde com a finalidade de assegurar padrões clínicos e melhorar a qualidade da atenção.

O projeto tem como objetivo apoiar e acompanhar a implementação de intervenções voltadas para gestão da assistência, contribuindo para qualificação da linha de atenção aos pacientes agudos e agudizados no ambiente intra-hospitalar no contexto da Rede de Atenção às Urgências. Para isso, forma multiplicadores nas equipes hospitalares para incidirem positivamente na gestão hospitalar, e acompanha a elaboração e implementação do projeto aplicativo, sua viabilidade, monitoramento e avaliação de resultados.


Métodos

Este projeto fundamenta-se nos princípios da Política de Educação Permanente em Saúde, do planejamento estratégico situacional, e da ciência da melhoria do cuidado em saúde. Portanto a estrutura e dinâmica divide-se em encontros presenciais nos quais são realizadas discussões e estudos teóricos em pequeno grupo e plenária, que dão alicerce a construção do Projeto Aplicativo. Os participantes problematizam sobre os processos do trabalho assistencial, sua gestão e propõe ações necessárias e viáveis tendo em vista a melhoria da qualidade do cuidado na perspectiva da integralidade. No ambiente virtual de ensino aprendizagem são realizados Fóruns Temáticos como atividade complementar aos estudos e à construção do Projeto Aplicativo.


Nesta perspectiva, é utilizado o Método da Problematização que orienta o desenvolvimento das atividades. O público alvo são profissionais hospitalares com funções de gestão. A seleção desses profissionais é realizada junto à Secretaria de Saúde do Estado e/ou Municípios e o HCor. Já os tutores são profissionais preferencialmente, com vínculo efetivo com a Rede Estadual ou Municipal de Saúde, selecionados via edital realizado pela equipe do HCor, com função de realizar tutoria com os profissionais hospitalares.


O conteúdo divide-se em três Núcleos Temáticos: Gestão Hospitalar - Planejamento, Monitoramento e Avaliação; Rede de Atenção às Urgências no âmbito do SUS; Gestão Clínica e a Atenção às Urgências no Ambiente Intra-Hospitalar. Com carga horária de 210 horas. O projeto aplicativo é construído a partir da análise e priorização dos problemas identificados no diagnóstico situacional, com o apoio de especialistas e consultores.


Sendo este projeto uma intervenção no âmbito da gestão das urgências intra-hospitalar, a avaliação implica em um processo de busca de evidências sobre o planejamento, a execução e resultados alcançados com vista à tomada de decisões para o aprimoramento e construção de conhecimentos sobre a experiência.


Resultados

Espera-se contribuir para a promoção de um ambiente seguro e melhoria da qualidade da assistência prestada, assumindo a educação permanente como eixo estruturante. A partir da discussão acerca da realidade intra-hospitalar, mais precisamente a gestão do fluxo das urgências, articulando a conteúdos teóricos e técnicos, os participantes, com apoio de especialistas, terão a oportunidade de colocar em prática conhecimentos capazes de fomentar ações voltadas à estruturação e qualificação do componente hospitalar e também à manutenção da integralidade da rede de urgência.

Em 2018 o Projeto foi iniciado em Goiás e Paraíba e em 2019 em Mato Grosso, a 4ª praça está em fase de definição com o Ministério da Saúde.

- Finalizado a revisão e atualização do material didático e a estruturação do Ambiente Virtual de Ensino Aprendizagem;

- Finalizado a formação dos tutores e dos profissionais dos hospitais participantes dos dois estados, com destaque para a elaboração do diagnóstico situacional.

- Goiás participaram 12 hospitais, 134 participantes inscritos e 12 tutores.

- Paraíba participaram 12 hospitais, 121 participantes inscritos e 10 tutores.

- Mato Grosso participam 10 hospitais, 106 participantes e 10 tutores.

O diagnóstico situacional envolve o levantamento de informações sobre os distintos serviços constituintes da gestão do fluxo das urgências; a sistematização e análise de dados coletados; e a identificação de fortalezas, fragilidades e necessidades de mudanças. O instrumento foi aplicado nos 34 hospitais; e as análises e validação dos diagnósticos foram elaboradas pelos consultores.

A construção do Projeto Aplicativo é realizada a partir da análise e priorização dos problemas identificados no diagnóstico situacional, com o apoio de especialistas e consultores. Neste os participantes problematizam sobre os processos do trabalho assistencial, sua gestão e propõe ações necessárias e viáveis tendo em vista a melhoria da qualidade do cuidado na perspectiva da integralidade.

Liderança

Bernardete Weber - Associação Beneficente Síria - Hospital do Coração - HCor, São Paulo, SP, http://lattes.cnpq.br/0961819677749530


Gizelda Monteiro da Silva - Associação Beneficente Síria - Hospital do Coração - HCor, São Paulo, SP, http://lattes.cnpq.br/2505797172646870

Equipe

Antonio Claudio de Oliveira - Associação Beneficente Síria - Hospital do Coração - HCor, São Paulo, SP, http://lattes.cnpq.br/9017375059573427  

Mayla Youko Kato - Associação Beneficente Síria - Hospital do Coração - HCor, São Paulo, SP, http://lattes.cnpq.br/3829396060359102


Otilia Seiffert - Associação Beneficente Síria - Hospital do Coração - HCor, São Paulo, SP, http://lattes.cnpq.br/0809341121492385

Colaboração

Hospitais envolvidos na coleta de dados (instrumento de diagnostico situacional):

HUGO - Hospital Estadual de Urgências de Goiânia, Goiânia, GO

Hospital das Clínicas - Universidade Federal Goiás, Goiânia, GO

HGG - Hospital Estadual Geral de Goiânia Dr. Alberto Rassi, Goiânia, GO

Hospital Araújo Jorge - Associação de Combate ao Câncer Em Goiás, Goiânia, GO

HMI - Hospital Estadual Materno-Infantil Dr. Jurandir Do Nascimento, Goiânia, GO

CRER - Centro Estadual de Reabilitação e Readaptação Dr. Henrique Santillo (Associação Goiana de Integralização e Reabilitação Agir), Goiânia, GO

Hospital e Maternidade Dona Iris, Goiânia, GO

HURSO - Hospital Estadual de Urgências da Região Sudoeste Dr. Albanir Faleiros Machado, Santa Helena de Goiás, GO

HUAPA - Hospital Estadual de Urgências de Aparecida de Goiânia Cairo Louzada, Aparecida de Goiânia, GO

HUANA - Hospital Estadual de Urgências de Anápolis Dr. Henrique Santillo (Fundação De Assistência Social de Anápolis - FASA), Anápolis, GO

Hospital das Clínicas - Jataí (Hospital Das Clínicas Dr. Serafim De Carvalho), Jataí, GO

Hospital Municipal Modesto de Carvalho (Fundo Municipal De Saúde Itumbiara-GO), Itumbiara, GO

Hospital da Polícia Militar General Edson Ramalho, João Pessoa, PB

Hospital Arlinda Marques, João Pessoa, PB

Complexo Hospitalar Regional Deputado Janduhy Carneiro, Patos, PB

Hospital Regional de Cajazeiras Dr. José de Sousa Maciel, Cajazeiras, PB

Hospital Regional de Piancó Wenceslau Lopes, Piancó, PB

Hospital Regional de Sousa Manoel Gonçalves de Abrantes, Sousa, PB

Hospital Regional de Emergência e Trauma Dom Luiz Gonzaga Fernandes, Campina Grande, PB

Hospital Estadual de Emergência e Trauma Senador Humberto Lucena, João Pessoa, PB

Hospital Metropolitano Dom José Maria Pires, Santa Rita, PB

Hospital e Maternidade Frei Damião, João Pessoa, PB

Hospital Maternidade Peregrino Filho, Patos, PB

Hospital Infantil Noaldo Leite, Patos, PB

Hospital Regional de Água Boa, Água Boa, MT

Hospital E Pronto Socorro Municipal De Cuiabá, Cuiabá, MT

Hospital Regional de Cáceres Dr. Antonio Fontes, Cáceres, MT

Hospital Regional de Alta Floresta, Alta Floresta, MT

Hospital Regional de Peixoto de Azevedo, Peixoto de Azevedo, MT

Hospital Regional de Sorriso, Sorriso, MT

Hospital Regional de Rondonópolis Irmã Elza Giovanela, Rondonópolis, MT

Hospital Regional de Colíder, Colíder, MT

Hospital Regional de Sinop, Sinop, MT

Santa Casa de Misericórdia de Cuiabá, Cuiabá, MT

 



Área Técnica
Coordenação-Geral de Atenção Hospitalar / Departamento de Atenção Hospitalar e de Urgência / Secretaria de Atenção à Saúde / Ministério da Saúde (CGHOSP/DAHU/SAS/MS)

INDICADORES

CONHEÇA OUTROS PROJETOS
Processando