Consórcio nacional para mensuração de desfechos em saúde
Hospital Moinhos de Vento

Consórcio nacional para mensuração de desfechos em saúde
Indicadores
2018-2020

Consórcio nacional para mensuração de desfechos em saúde
Resumo

Valor em saúde atualmente pressupõe cuidado de maior qualidade para os pacientes a um menor custo para os prestadores. A mensuração de indicadores em saúde é fundamental para monitorar a qualidade da assistência fornecida pelas instituições e serviços, apontando lacunas para o aprimoramento e gerando maior eficiência do setor.

Atualmente, no Brasil, não há um programa de coleta e monitoramento de indicadores padronizado e instituído em todos os hospitais. Este projeto, desenvolvido pelo Hospital Moinhos de Vento, sob coordenação técnica da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) e com a participação dos Hospitais PROADI-SUS, se propôs a construir um painel de indicadores padronizados e a desenvolver uma ferramenta de coleta e monitoramento a ser implantada em hospitais filantrópicos e privados de todo o país.

O painel de indicadores foi dividido em gerais e específicos para linhas de cuidado. Os indicadores gerais foram distribuídos nos domínios efetividade, eficiência e segurança, e sua escolha é baseada em evidências da literatura nacional e internacional, validada por especialistas. Os indicadores específicos foram subdivididos em seis linhas de cuidado - Acidente Vascular Cerebral, Artropatia de Quadril, Câncer de Mama, Câncer de Próstata, Sepse e Choque Séptico e Síndrome Coronariana Aguda, considerando doenças de alto impacto em morbimortalidade na população brasileira e cujos desfechos estão associados à qualidade hospitalar.

O projeto foi desenvolvido entre 2018-2020, período no qual foram selecionados 14 indicadores gerais e 49 indicadores para as linhas de cuidado. Estes indicadores foram implementados em 15 instituições hospitalares nas cinco regiões brasileiras. Para apoiar o desenvolvimento do projeto, foram elaborados materiais teóricos e boletins informativos para as instituições participantes. Além disso, o projeto desenvolveu um sistema para viabilizar a coleta e a visualização dos resultados dos indicadores. Nesta perspectiva, esperou-se incentivar a busca por qualificação e organização da qualidade assistencial dos hospitais brasileiros, permitindo a construção de bases de dados para estimular a mudança do processo de remuneração baseada em desfechos.



Introdução

Indicadores em saúde são recursos fundamentais para avaliar e monitorar a qualidade da assistência prestada pelos serviços de saúde, com o objetivo de melhorar processos e, por consequência, os desfechos. Inúmeros sistemas de saúde no mundo utilizam programas consolidados de indicadores que permitem avaliar e comparar a qualidade assistencial de seus hospitais. Além disso, alguns países instituíram programas que permitem a escolha dos melhores prestadores através do resultado dos indicadores, possibilitando identificar pontos de aprimoramento e desenvolvimento de políticas baseadas em desempenho.

No Brasil, a Agência Nacional de Saúde Suplementar estabeleceu em 2016 um sistema de medição para avaliar a qualidade dos prestadores de serviço na saúde suplementar através do Programa de Qualificação dos Prestadores de Serviços na Saúde – PM QUALISS. Diante da necessidade de atualização do painel de indicadores e do desenvolvimento de uma ferramenta para consolidação e gestão dos dados, o Projeto Consórcio de Indicadores de Qualidade Hospitalar foi desenvolvido.

O projeto se propôs a, juntamente com a ANS e com os demais Hospitais PROADI-SUS, atualizar o painel do PM QUALISS com indicadores que visam mensurar a qualidade da assistência prestada pelos serviços de saúde, e a desenvolver e implementar uma ferramenta de coleta e monitoramento de indicadores.



Métodos
Na fase inicial, que ocorreu em novembro de 2018, foram selecionados os indicadores para compor o painel geral e as linhas de cuidado. A escolha dos indicadores foi através do  método RAM (RAND Assessment Method / UCLA) aplicado a revisão da literatura para a identificação dos indicadores mais relevantes para o desempenho hospitalar. Seis linhas de cuidado foram definidas com base nas doenças mais prevalentes na população brasileira, de acordo com estimativas do Global Burden of Disease.
    • Acidente vascular cerebral (AVC);
    • Artropatia de quadril;
    • Câncer de mama; 
    • Câncer de próstata;
    • Sepse e choque séptico;
    • Síndrome coronariana aguda (SCA).

Para cada linha de cuidado, um subcomitê de especialistas foi composto para a definição de um conjunto de indicadores específicos. Para a implementação do projeto, em maio de 2019, foram selecionados hospitais filantrópicos e privados participantes do Programa de Qualificação dos Prestadores de Serviços de Saúde da ANS, com o atributo de Acreditação. Além do painel geral, cada hospital elegeu, no mínimo, três linhas de cuidado para coleta de dados, sendo a linha da Sepse obrigatória. Os hospitais selecionados receberam acesso a uma plataforma exclusiva, desenvolvida pelo projeto para coleta e visualização dos dados.


Resultados
Durante o o período de 2018-2020, 12 instituições filantrópicas e privadas foram selecionadas para participar do projeto, abrangendo todas as regiões do país. A lista completa de participantes pode ser acessada aqui.

O projeto selecionou e elaborou material técnico referente a 63 indicadores:
  • O painel de indicadores gerais é composto por 14 indicadores, classificados em 3 domínios. As fichas técnicas e o manual metodológico para auxiliar na coleta de dados podem ser encontradas aqui;
  • As linhas de cuidado compreendem um total de 49 indicadores, o material técnico está disponível aqui. Os 49 indicadores estão distribuídos da seguinte maneira:
    • Acidente vascular cerebral: 10 indicadores;
    • Artropatia de quadril: 10 indicadores;
    • Câncer de mama: 5 indicadores;
    • Câncer de próstata: 5 indicadores;
    • Sepse e choque séptico: 9 indicadores;
    • Síndrome coronariana aguda: 10 indicadores.

Os indicadores foram implementados nas 12 instituições e em 4 hospitais PROADI-SUS. A coleta iniciou em setembro de 2019 e encerrou em dezembro de 2020. Além disso, um sistema de coleta e visualização de dados foi desenvolvido.


Liderança

Ruchelli França de Lima – Hospital Moinhos de Vento, Porto Alegre - Lattes



Equipe
Luiz Antônio Nasi – Hospital Moinhos de Vento, Porto Alegre – Lattes
Carisi Anne Polanczyk – Hospital Moinhos de Vento, Porto Alegre – Latte
Carolina Zenilda Nicolao - Hospital Moinhos de Vento, Porto Alegre – Lattes
Débora Dalmas Gräf – Hospital Moinhos de Vento, Porto Alegre – Lattes
Guilhermo Prates Sesin – Hospital Moinhos de Vento, Porto Alegre –  Lattes
Karlyse Claudino Belli – Hospital Moinhos de Vento, Porto Alegre – Lattes
Leonardo Augusto Carbonera – Hospital Moinhos de Vento, Porto Alegre – Lattes


Colaboração
Hospital Albert Einstein
Hospital Alemão Oswaldo Cruz
Hospital do Coração
Sociedade Brasileira de Medicina Hospitalar

 



Área Técnica
GEEIQ / DIDES -  Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS)

INDICADORES

CONHEÇA OUTROS PROJETOS
Processando