Voltar

NOTÍCIAS

05.04.2021 - Editado em 05.04.2021 - Compartilhar:
Lean nas Emergências reduz superlotação em hospitais do SUS em 38%

Projeto do Ministério da Saúde executado pelo Hospital Sírio-Libanês, via PROADI-SUS, o “Lean nas Emergências” encerrou seu 4º ciclo de atuação em dezembro de 2020. A ação visa reduzir a superlotação nas urgências e emergências de hospitais públicos e filantrópicos em todas as regiões do Brasil e conquistou relevantes melhorias para a saúde pública brasileira. Entre dezembro de 2019 a novembro de 2020, os resultados em 40 hospitais do SUS foram os seguintes: redução de 38% na superlotação; diminuição pela metade do tempo de permanência dos pacientes no pronto-socorro sem internação e queda de 23% da taxa de permanência dos pacientes em serviços de emergência com internação.


Nesse período, também houve outros resultados relevantes. O tempo total de passagem nos Serviços de Urgência dos hospitais participantes teve uma redução de 66%. Além disso, destaca-se a queda em 11% do tempo médio de permanência em dias (de 8,5 dias para 7,6 dias) dos pacientes nas emergências dos hospitais.


O projeto segue prestando assistência durante a pandemia de COVID-19, colaborando na diminuição drástica no número de pacientes entubados, apesar do aumento em 6% na percepção de tempo dos pacientes até o primeiro contato com o médico, decorrente das adaptações de fluxo para atendimento à COVID-19 nos hospitais.


A superlotação nos serviços de urgência e emergência em hospitais do SUS é um fator de impacto à vida dos pacientes, que além da longa espera, estão sujeitos a outros problemas, como o aumento da média de permanência do paciente no hospital, menor giro de leitos e o desperdício de tempo e recursos. A metodologia, no entanto, foi desenvolvida para mitigar essa realidade nos hospitais do SUS participantes.


A metodologia Lean:

A metodologia Lean busca melhorar processos baseado em tempo e valor, além de ser desenhada para assegurar fluxos contínuos e eliminar desperdícios. Dessa forma, utiliza-se de princípios e técnicas que fortalecem as atividades que agregam valor aos processos intra-hospitalares. E para realizar esses processos, a iniciativa é dividida em “ciclos”, com intervalos de execução, além de 12 meses de monitoramento por parte do Hospital Sírio-Libanês.


O Lean nas Emergências já passou por 102 hospitais, em 24 estados do Brasil, e o alcance previsto da metodologia é de 100 hospitais para a execução e até 200 participantes do projeto. Para conhecer mais sobre a metodologia clique aqui

A iniciativa auxiliou os hospitais na implementação e gerenciamento diário de Gabinetes de Crise, em resposta à pandemia do novo coronavírus. Além de diversas outras ações, como a criação do e-book “Plano de Resposta Hospitalar ao COVID-19”, implementação de estratégias para segregação de fluxo para pacientes com a doença, realização de diversas lives e workshops para auxílio aos hospitais públicos na implementação das ações, e treinamentos em Gestão Avançada em Serviço Hospitalar (GASH) para a equipe do departamento da Secretaria de Atenção Especializada à Saúde (SAES) do Ministério da Saúde.


Fora essas frentes, a equipe também presta suporte estratégico aos Hospitais Federais e Institutos do Rio de Janeiro, para conduzir melhorias de processo que gerem aumento de eficiência em diversos setores, como Centro Cirúrgico, Unidades de Internação e Pronto Socorro. Os hospitais contemplados por essa ação são: o Hospital Federal Ipanema, Hospital Federal Lagoa, Instituto Nacional de Traumatologia e Ortopedia, Instituto Nacional de Câncer, Hospital Federal Servidores do Estado, Hospital Federal Cardoso Fontes, Hospital Federal do Andaraí, Hospital Federal de Bonsucesso e Instituto Nacional de Cardiologia.

Destaques entre os hospitais do SUS:

Durante o ano, alguns hospitais realizaram grandes feitos. É o caso do Hospital Padre Albino, em São Paulo, que realizava a medição do indicador de superlotação e, após a implementação da iniciativa, apresentou consideráveis melhorias no acompanhamento e assistência de seus pacientes. Outro destaque do período é o Hospital Evangélico de Londrina (PR), que criou a iniciativa “Médico Nota 10”. A ação valoriza o profissional que dá alta até as 10h da manhã, contribuindo para otimização do giro de leitos, como destaca Sirlene Tsukamoto, enfermeira supervisora dos setores de internação:


“O Lean nas Emergências nos mostrou claramente a importância do envolvimento de todas as equipes, pois a mobilização deve acontecer desde a entrada do paciente até a alta. Por meio dos rounds do grupo de alta liderança, com apoio da diretoria, estamos discutindo com maior segurança a saúde do paciente, garantindo maior resolutividade”


Hospitais como o Hospital Augusto de Oliveira Camargo, em São Paulo, iniciaram o 4º ciclo do projeto, porém não o concluíram por não apresentarem mais superlotação em suas instalações. 


Confira aqui a lista completa de hospitais participantes do ciclo 4.



Treinamento em Gestão Avançada em Serviço Hospitalar (GASH) para a equipe do departamento da Secretaria de Atenção Especializada à Saúde (SASES) do Ministério da Saúde em Brasília (DF), 03 a 06 de novembro de 2020.

Lean nas Emergências reduz superlotação em hospitais do SUS em 38%
Processando