Voltar

NOTÍCIAS

03.12.2019 - Editado em 03.12.2019 - Compartilhar:
“Saúde em Nossas Mãos” evita mais de 4 mil casos de infecções em UTIs de hospitais públicos e salva mais de mil vidas no Brasil

Os resultados atualizados do projeto “Saúde em Nossas Mãos – Melhorando a Segurança do Paciente em Larga Escala no Brasil”, que visa a diminuição de infecções nas Unidade de Tratamento Intensivo (UTIs) de hospitais públicos e filantrópicos pelo Brasil foram divulgados na sexta edição da SAP – Sessão de Aprendizado - junto às instituições beneficiadas pela iniciativa que reuniu cerca de 600 profissionais, em São Paulo, nos dias 26 e 27 de novembro.

 

De janeiro de 2018 a outubro de 2019, 1.411 vidas foram salvas e 4.066 episódios de infecções foram evitados, resultando em uma economia de R$ 160 milhões ao Sistema Único de Saúde (SUS).  

 

A iniciativa é executada de forma colaborativa pelos hospitais integrantes do Programa de Apoio ao Desenvolvimento Institucional do Sistema Único de Saúde (PROADI-SUS): Hospital Alemão Oswaldo Cruz, HCor, Hospital Israelita Albert Einstein, Hospital Moinhos de Vento e Hospital Sírio-Libanês, com apoio da equipe técnica da Coordenação do Programa Nacional de Segurança do Paciente do Ministério da Saúde e do Institute for Healthcare Improvement (IHI).


O grande desafio da infecção hospitalar:

As UTIs são ambientes de risco, pois dispositivos invasivos – como sondas urinárias e tubos para ventilação com aparelhos -, são necessários para a manutenção da vida, mas também aumentam as chances de infecções. Isso se deve geralmente à forma como eles são instalados ou manuseados no paciente.

Quando um profissional de saúde, ou até mesmo um familiar toca nesses dispositivos sem lavar as mãos, por exemplo, pode aumentar as chances de uma infecção, já que as mãos são responsáveis por alojar e transportar micro-organismos o tempo todo. 

 

Dessa forma, o projeto vem para fortalecer a segurança do paciente, visando a prevenção dessa enfermidade que é motivo de grande preocupação ao redor do mundo. Segundo a Associação Nacional de Biossegurança (ANBio), o problema causa mais de 100 mil mortes no Brasil todos os anos1.

 

Com isso, o “Saúde em Nossas Mãos” tem a meta de reduzir em 50%, até dezembro de 2020, os três principais tipos de infecções relacionadas à assistência à saúde (IRAS) em 116 hospitais do SUS , por representarem um alto grau de mortalidade, morbidade e custos hospitalares quando adquiridas pelo paciente: infecção primária da corrente sanguínea associada a cateter venoso central (IPCSL); pneumonia associada à ventilação mecânica (PAV), e infecção do trato urinário associada a cateter vesical (ITU-AC), que acomete centenas de milhões de pacientes todos os anos.


Mais sobre a execução do projeto:

Os 116 hospitais do SUS beneficiados em 25 estados brasileiros são orientados pelos hospitais membros do PROADI-SUS. A metodologia escolhida é chamada de Modelo de Melhoria do IHI. Nela, a instituição seleciona um item do pacote de medidas para a redução de cada infecção, define o que será implementado primeiramente em um grupo pequeno de pacientes e profissionais da saúde, permitindo que haja um teste em pequena escala, observando os aprendizados e traçando adaptações, se necessário. Uma vez que o teste tenha sucesso, o projeto passa para a implantação das medidas para o restante da unidade, de forma progressiva.

 

A iniciativa trabalha na construção de uma cultura de prevenção, que precisa ser estabelecida entre os profissionais da saúde e familiares, que visitam os pacientes internados, sem a necessidade de investir em infraestrutura ou novas tecnologias, mas sim em promover uma mudança na forma de trabalhar e dos processos.

 

São ações simples que beneficiam os pacientes, melhorando sua segurança, como lavar as mãos diversas vezes ao dia, posicionar o álcool gel próximo aos leitos, acomodação correta dos pacientes, entre outros, levando a prevenção das IRAS. As capacitações aos hospitais beneficiados, de acordo com planos pré-estabelecidos no projeto e adaptados à realidade de cada instituição, entre outras iniciativas, ocorrem de forma presencial e à distância.

 

O projeto “Saúde em Nossas Mãos – Melhorando a Segurança do Paciente em Larga Escala no Brasil” está sendo executado com recursos dos próprios hospitais membros do PROADI-SUS, em contrapartida à imunidade fiscal, que afasta o recolhimento das contribuições sociais. Para os próximos anos, a previsão inicial é a disseminação da iniciativa para mais 400 UTIs a partir de 2021.

 

 Referência:

  1. http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/medidas_prevencao_infeccao_relacionada_assistencia_saude.pdf

 

“Saúde em Nossas Mãos” evita mais de 4 mil casos de infecções em UTIs de hospitais públicos e salva mais de mil vidas no Brasil
GALERIA DE FOTOS

Processando