Voltar

NOTÍCIAS

06.02.2020 - Editado em 06.02.2020 - Compartilhar:
Projeto do PROADI-SUS apoia o diagnóstico ágil de infarto agudo do miocárdio na rede pública

O infarto agudo do miocárdio é uma condição que normalmente acontece quando um coágulo bloqueia o fluxo sanguíneo para o coração, podendo levar à morte. Para pacientes com suspeita da doença, o diagnóstico rápido impacta diretamente no desfecho clínico.

No contexto que a rapidez no atendimento de emergências cardiovasculares é crítica para salvar vidas, o Brasil enfrenta alguns desafios, como a falta de especialistas e recursos diagnósticos em áreas remotas, por exemplo, considerando a dimensão continental do país.

O HCor, alinhado com o objetivo de aperfeiçoar, fortalecer e qualificar o Sistema Único de Saúde (SUS), como hospital integrante do PROADI-SUS, executa o “Tele-Eletrocardiografia em boas práticas cardiovasculares”, um projeto de telemedicina que representa uma oportunidade de acesso a recursos diagnósticos para emergências cardiovasculares, de maneira ágil e em tempo integral, em 21 estados brasileiros.

Em 2019, a iniciativa apoiou a rede pública com a emissão de mil laudos sugestivos do infarto agudo do miocárdio com elevação do segmento ST (condição mais crítica do infarto). Os pacientes, com média de 62 anos, são provenientes de todas as regiões do Brasil, e contaram com a orientação dos cardiologistas do HCor. Assim que os laudos foram emitidos à distância, a equipe entrou em contato com a unidade de saúde pública para discutir os casos e apoiar o atendimento baseado nas diretrizes e boas práticas em cardiologia, buscando garantir que o paciente receba a terapia adequada.   

Como funciona o projeto:

Um médico da Unidade de Pronto Atendimento (UPA) ou Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) realiza o eletrocardiograma (ECG). Trata-se de um exame simples, que mede a atividade elétrica do coração e avalia o ritmo dos batimentos cardíacos, sendo possível identificar se partes do músculo cardíaco estão “funcionando” corretamente.

Esse exame é transmitido para a central de telemedicina do projeto, no HCor, em tempo real. No local, uma rede especializada de profissionais do hospital está alocada 24 horas por dia para avaliar o exame e emitir um laudo em no máximo 10 minutos, além de oferecer suporte por telefone para uma segunda opinião médica, bem como o seguimento do desfecho clínico dos pacientes após 48 horas do exame.

O atendimento nas primeiras 24 horas:

Em casos de infarto ou arritmias, as 24 horas a partir da ocorrência são críticas já que a maioria das mortes acontece nas primeiras horas. Dessa forma, o rápido atendimento, a oferta de diagnósticos e o acesso a especialistas podem salvar vidas.

Há dez anos, o projeto une tecnologia de ponta com equipe altamente especializada, à serviço do SUS, apoiando o diagnóstico ágil, em todas as regiões do Brasil. Desde 2009, mais de 1 milhão de laudos qualificados foram emitidos à distância, sendo que 0,6% são compatíveis com infarto agudo do miocárdio com elevação do seguimento ST (IAMCSST).

Processando